Terapeuta holístico é preso por violência sexual contra clientes na Região Metropolitana de Porto Alegre

A Operação 7 Chakras, deflagrada pela Polícia Civil, prendeu preventivamente em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, um terapeuta holístico após inúmeros depoimentos de vítimas que relataram terem sofrido abuso sexual.

Segundo informações divulgadas nesta segunda-feira (29), o suspeito realizava atendimentos particulares de psicoterapia e terapia holística em Canoas e Porto Alegre. Ele ainda intitulava-se como palestrante, escritor, professor, atuante com física quântica e a técnica de apometria sistêmica.

Quando as vítimas informavam que tinham algum problema íntimo de cunho sexual, o homem iniciava a aproximação física com as pacientes, evoluindo para o contato sexual. Durante as sessões, o suspeito começava com conversas e, posteriormente, evoluía para contatos físicos com toques no corpo da paciente, aproximando-se a cada sessão, quando sugeria para que elas tocassem nele e fizessem sexo oral ou o masturbassem. Em pelo menos uma das pacientes, o homem evoluiu para a prática sexual com penetração vaginal e anal.

Várias vítimas que fizeram terapia individual com o suspeito também realizaram cursos e participaram de palestras ministradas por ele. Alguns desses pacientes tiveram gastos que totalizam cerca de R$ 25 mil.

As vítimas apresentavam, em comum, muita fragilidade emocional, e o investigado era visto como um “mestre” para elas, se valendo da confiança e sigilo sobre a técnica empregada, de acordo com a Polícia Civil.

Os policiais apreenderam documentos e equipamentos eletrônicos em Canoas. A delegada Clarissa Demartini, coordenadora da operação,  ressaltou a importância da prisão: “Tem um caráter repressivo contra o abusador, bem como serve de incentivo para que outras mulheres se sintam encorajadas a denunciar possíveis abusos sofridos”.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se você encontrar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Post Author: rita