“Ninguém vai me dizer como tenho que viver!”, diz Glória Maria ao rebater críticas na internet

Glória Maria rebateu as críticas que recebeu nesta terça-feira (29) na internet por criticar o politicamente correto. “Orgulho da minha vida. Da minha história! Nunca serei politicamente correta! Acho um saco! Sou livre. Rebelde! Ninguém vai me dizer como tenho que viver!”, escreveu ela na legenda do vídeo em que aparece desfilando pela Mangueira em 1988, quando o enredo da verde e rosa foi 100 Anos de Liberdade, Realidade Ou Ilusão?.

O assunto eram os 100 anos da abolição da escravatura no Brasil. O samba trazia à tona a reflexão a respeito da liberdade do negro, concedida por meio da Lei Áurea, assinada pela princesa Isabel em 13 de maio de 1888. Gloria desfilou na comissão de frente da agremiação, juntamente com outras personalidades negras como o comediante e ator Grande Otelo, o músico Djavan, o jogador Andrade, a atriz Ruth de Souza, os saltadores João do Pulo e Adhemar Ferreira da Silva e o baluarte Carlos Cachaça, entre outros.

Glória foi duramente criticada depois de participar de uma live no Instagram com a jornalista Joyce Pascowitch, em que criticou o “politicamente correto” e disse que “tudo é racismo, tudo é preconceito”.

Os usuários do Twitter compararam a jornalista ao ator Morgan Freeman e relembraram o vídeo em que o norte-americano fala sobre o mês da consciência negra. No vídeo, o ator, de 83 anos de idade, é questionado sobre como é possível acabar com o racismo e responde que a única forma é “parando de falar sobre isso”.

Ao opinar sobre assédio e preconceito na live, Glória declarou: “Eu acho tudo isso um saco. Hoje tudo é racismo, preconceito e assédio. A equipe com que trabalho me chama de ‘neguinha’, de uma forma amorosa e carinhosa. Estou mais de 40 anos na televisão, já fui paquerada, mas nunca me senti assediada moralmente. O assedio é algo que te fere, é grosseiro, desmoraliza. Existe uma cultura hoje que nada pode. Tem que ter uma diferenciação, não dá para generalizar tudo. O politicamente correto é um porre. Acredito que o politicamente correto é o caráter, a honestidade. Esse mundo que a gente está vem muito da amargura das pessoas, não aceito”.

No Twitter, os internautas criticaram as declarações da jornalista. “Todo país tem um Morgan Freeman para chamar de seu”, postou um usuário. “E temos o Morgan Freeman tupiniquim”, concordou outro.

“Ah, Glória! Por quê?”, questionou outra internauta. “Meu Deus, 2020 não para de decepcionar”, disse outra usuária. “A Glória Maria falando que está de saco cheio de ouvir falar de racismo é o novo Morgan Freeman falando que se a gente parar de falar de racismo, ele desaparece como num passe de mágica. Podres”, opinou mais uma usuária da rede social.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se você encontrar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Post Author: rita