Morre, aos 93 anos, a atriz Eloísa Mafalda

A atriz Eloísa Mafalda morreu, na noite de quarta-feira (16), aos 93 anos, em Petrópolis (RJ). Ela lutava contra problemas respiratórios. O velório ocorre em Jundiaí (SP), cidade natal da atriz. Eloísa nasceu em setembro de 1924 com o nome de batismo Mafalda Theoto. Ela deixa dois filhos, dois netos e dois bisnetos.

Eloísa Mafalda trabalhou como costureira e auxiliar de escritório nas Emissores Associadas, na qual teve os primeiros contatos com a arte e a interpretação. Começou a sua carreira no rádio. Seu irmão Oliveira Neto a convenceu a fazer um teste. Ela foi aprovada e começou a fazer radionovelas da Rádio Nacional. Em seguida, a atriz fez sua estreia na TV Paulista, onde ficou até a emissora ser vendida para a TV Globo.

Na TV Globo, Eloísa viveu papéis marcantes em mais de 40 trabalhos, entre novelas, séries e especiais. Caso de Dona Nenê, na primeira versão de “A Grande Família”, e a inesquecível Dona Pombinha Abelha, de “Roque Santeiro”. A carreira conta ainda com outros personagens que caíram no gosto do público, como Maria Machadão, de “Gabriela”, Dona Mariana, de “Paraíso”, Gioconda Pontes, de “Pedra sobre pedra” e Manuela, de “Mulheres de Areia”.

A artista fez seu primeiro papel no cinema em 1950, no filme “Somos Dois”. Já no teatro, a estreia aconteceu em 1965, em uma adaptação de “O Morro dos Ventos Uivantes”. Eloísa estava fora do ar desde a novela “O Beijo do Vampiro”, de 2002. Os convites para voltar foram muitos, mas a artista não pode aceitá-los. Na época da última novela, já não conseguia decorar os textos e decidiu sair de cena diante da perda de memória. Ela vivia com a filha Mirian, em Petrópolis.

Pelas redes sociais, o neto da atriz Marcello Berro fez uma despedida emocionada para avó, a quem chamou de “meu grande amor”. “Foi a primeira mulher que me pegou no colo. Sim! Antes de colocarem no colo da minha mãe, ela pegou da mão da obstetra e disse: ‘É meu neto!’ Nosso amor sempre foi explícito. Quando aprendi a escrever, escrevi em todos os livros da casa dela, listas telefônicas, paredes, gavetas: ‘Vó te amo’”, escreveu o neto, em post no Facebook.

A Grande Família 

A atriz contou, em uma entrevista realizada em 2012, que tinha ciúmes de apenas uma personagem que fez no passado, Dona Nenê, na primeira versão do seriado “A Grande Família, de 1972 a 1975.  “Só tenho ciúme da Nenê, de ‘A Grande Família’. Eu nem vejo o programa. A época do seriado foi maravilhosa. Os cacos que o [Jorge] Dória colocava eram muito engraçados! É claro que a Nenê era uma dona de casa, tinha os seus problemas, e essa parte eu fazia séria, mas sempre tentava levar para o humor, que era o que mais gostava de fazer”, disse na época. 



A atriz foi a intérprete de Maria Machadão – a dona do bordel Bataclã – na primeira versão de “Gabriela” para a televisão e, por isso, comentou sobre a sua substituta, Ivete Sangalo. Segundo ela, o remake em nada se pareceu com a versão em que atuou, além de dizer que a cantora não é a Maria Machadão. “É bem diferente. Não lembra a outra. Pra mim, ela não é Maria Machadão. Nem ali é o cabaré [Bataclã]. Pra mim, não tem nada de igual. Eu adorei fazer a Machadão!”, disse Eloísa.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se você encontrar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Post Author: rita