Líderes políticos, religiosos, fãs e admiradores estiveram presentes no tributo à cantora Aretha Franklin

Líderes políticos, religiosos, fãs e admiradores estiveram presentes no tributo desta sexta-feira (31) à cantora norte-americana Aretha Franklin, que morreu no último dia 16, aos 76 anos, de câncer no pâncreas. A “rainha do soul”, que também teve importância na luta pela igualdade racial nos Estados Unidos, foi homenageada no Templo da Graça Maior, em Detroit.

A lista de convidados incluiu a cantora Ariana Grande, que interpretou um dos maiores sucessos de Franklin, “Natural Woman”, o ex-presidente norte-americano Bill Clinton e sua mulher, a ex-secretária de Estado do país, Hillary Clinton, além dos cantores Stevie Wonder e Smokey Robinson.

Bill Clinton disse que era um seguidor fiel da cantora e que a amava desde os tempos de faculdade. Para ele, Franklin viveu com “coragem, mas não sem ter medo”. Ao contrário, “ela os superou”.

Ele ainda lembrou ter ido à ultima apresentação da cantora em vida, um concerto beneficente com o músico britânico Elton John em Nova York, em dezembro do ano passado. Clinton relatou que, mesmo muito doente, ela conseguiu cumprimentá-lo. O ex-presidente ainda destacou que a carreira da cantora abrangeu desde os discos de vinil até os smartphones e reproduziu em seu celular a música “Think”, aplaudida pala plateia.

Barbara Sampson, amiga da cantora, leu uma nota enviada pelo ex-presidente norte-americano George W. Bush, que disse que Aretha Franklin vai continuar inspirando as gerações futuras. O reverendo Al Sharpton leu uma nota de outro ex-presidente, Barack Obama, que disse que o trabalho da artista “refletiu o melhor da história americana”. Durante a cerimônia, cantora Faith Hill emocionou o público com um medley que incluiu sucessos como “I Say a Little Prayer”, “Angel” e outras músicas gospel como “I Love the Lord” e “Walk in the Light”. A neta da artista, Victorie Franklin, e a sobrinha, Cristal, lembraram que ela gostava de “fofocar” e que levava fotos dos entes querido em seu piano.

O corpo da rainha do soul, que usava um vestido dourado e salto alto, chegou em um Cadillac 1940 La Selle para a cerimônia. O enterro ocorrerá no cemitério Woodlawn, onde seu pai, o pastor C.L. Franklin foi sepultado. O prefeito de Detroit, Mike Duggan, também anunciou que vai renomear um parque da cidade como “Aretha Franklin Park”.

Assédio

Ariana Grande foi uma das que prestou homenagem a Aretha no evento, mas, após cantar, ela foi apalpada por um pastor, o que gerou revolta nos espectadores.

Ariana cantou Natural Woman e depois foi para a frente do caixão, onde o pastor Charles Ellis III comentou sua apresentação. O pastor logo segura na cintura de Ariana, que fica com uma expressão desconfortável. Rapidamente, ele vai subindo a mão até a lateral dos seios da cantora e os apalpa.

Não demorou para que imagens do momento tomassem as redes sociais, e muitos fãs da cantora e internautas em geral mostraram revolta com o assédio sexual.

“Ele é um pastor, em uma igreja, durante um funeral, com uma celebridade. Agora imaginem quando ele está falando com uma mulher de forma privada, dando conselhos e ajuda”, comentou uma internauta americana.

Rapidamente, a hashtag #RespectAriana (Respeite Ariana) foi parar nos tópicos mais comentados do Twitter. Até o momento, a cantora não se pronunciou sobre o caso.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se você encontrar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Post Author: rita